Impulsionar a liderança feminina em criptografia por meio de cotas e networking proativo discutido em Londres

No dia 24 de abril, o ‘Mulheres na criptografia para conselhos‘ em Londres reuniu mulheres de nível C e de

João Portela

João Portela

Olá me chamo João portela e vou te guiar no universo das criptomoedas



No dia 24 de abril, o ‘Mulheres na criptografia para conselhos‘ em Londres reuniu mulheres de nível C e de conselho da indústria de ativos digitais para abordar a sub-representação de mulheres na Web3apresentando os desafios e as oportunidades para promover a igualdade de género neste campo em rápida evolução.

O fundador do evento, Tim Connolly, destacou a importância da diversidade no aumento da rentabilidade comercial e da governação das empresas. O compromisso pessoal de Connolly com igualdade de gêneroa partir do testemunho dos desafios enfrentados por sua mãe e irmãs, deu um tom apaixonado às discussões que se seguiram.

Desafios na Representação

A conversa rapidamente se voltou para a significativa disparidade de gênero na indústria de criptografia. Elizabeth Rosiello, CEO e fundadora da AZA Finance, apontou uma questão nova: a falta de assentos tradicionais no conselho em muitas empresas de criptografia. Ela observou: “Uma boa parte da criptografia não está interessada na governança humana. Portanto, já temos menos assentos disponíveis no conselho.” Esta falta de estruturas de governação limita inerentemente as oportunidades para as mulheres ascenderem a posições de liderança visivelmente ambiciosas.

Hedwige Nuyens, Presidente da ‘Mulheres Europeias em Conselhos’ e CEO da Federação Bancária Internacional, destacou os desafios agravados no espaço criptográfico, que combina os campos de tecnologia e finanças dominados pelos homens. Nuyens enfatizou a necessidade de a indústria evoluir e amadurecer.

Visibilidade e Networking

Um tema recorrente foi a importância da visibilidade e do networking proativo. Jeanette Seng, Diretora Geral de Parcerias Globais da FIS, enfatizou a necessidade de as mulheres apoiarem e recomendarem umas às outras para cargos no conselho. Hemilly Rodrigues, fundadora e CEO da agência R&Co web3 AI, destacou a necessidade de manter uma abordagem equilibrada nas interações, observando,

“Você precisa manter o equilíbrio, nem muito duro, nem muito doce. Ainda é bastante desafiador.”

Os painelistas concordaram que as mulheres devem construir activamente os seus perfis e redes. Nuyens deu conselhos práticos: “No seu LinkedIn, logo abaixo do seu nome, você começa dizendo a próxima função que tem em mente… como é que eu contribuo para as empresas. Então você apenas dá seu discurso de elevador.” Esta abordagem pode aumentar significativamente a visibilidade e abrir portas para oportunidades de conselho.

Apoio Educacional e Institucional

A educação e o apoio institucional surgiram como componentes vitais para promover a diversidade. Os painelistas apelaram à implementação de programas de formação empresarial para educar os funcionários sobre os benefícios da diversidade e da inclusão. Tais iniciativas podem ajudar a criar um ambiente mais acolhedor para as mulheres.

Além disso, foi discutido o papel dos órgãos reguladores. Nuyens citou o exemplo da Autoridade Bancária Europeia, que impôs a diversidade nos conselhos de administração dos bancos, levando a operações mais lucrativas e menos arriscadas. Quadros regulatórios semelhantes na indústria criptográfica poderiam gerar melhorias significativas.

Cotas e metas

O controverso mas impactante tema das cotas também foi amplamente abordado durante a mesa redonda. Vários membros da audiência levantaram questões e compartilharam observações sobre a implementação de cotas na indústria de criptografia. Um participante sugeriu a existência de cotas nos painéis da conferência para garantir mais visibilidade feminina. Outros apoiaram esta ideia, enfatizando a importância de apresentar mulheres talentosas na área para inspirar e atrair mais participação feminina.

Elizabeth Rosiello defendeu apaixonadamente as quotas como uma medida necessária para iniciar a mudança. Ela destacou a resistência à mudança dentro da indústria e afirmou:

“Acho que a única resposta neste momento são as cotas. E quer saber, você vai lá e muda o DNA de todo mundo e volta? Ou você vai dizer, vamos começar com uma cota, e então esse se torna o comportamento.”

O seu argumento sublinhou a dificuldade em alterar preconceitos profundamente enraizados e a necessidade de medidas aplicadas para preparar o caminho para práticas mais inclusivas.

Hedwige Nuyens acrescentou que as quotas, embora inicialmente tenham encontrado resistência, muitas vezes conduzem a resultados positivos uma vez implementadas. Ela explicou,

“Quando há mais mulheres, o seu caso de negócio melhora, e há numerosos estudos que apresentam evidências de uma forte correlação entre a representação feminina e a atenção a uma melhor pontuação ambiental.”

Esta evidência apoia o argumento de que a diversidade promove igualdade e melhora o desempenho dos negócios.

Utilizando mídia para defesa de direitos

O papel dos meios de comunicação social na formação de perceções e na inspiração das gerações futuras foi outro ponto focal. Os painelistas sugeriram aproveitar as mídias tradicionais e sociais para destacar mulheres de sucesso no setor. Ao celebrar conquistas e partilhar histórias, os meios de comunicação social podem ajudar a desmantelar estereótipos e atrair mais mulheres para a Web3.

A mesa-redonda concluiu reconhecendo que, embora tenham sido feitos progressos, ainda há um longo caminho a percorrer. Medidas práticas como aumentar a visibilidade, implementar programas educativos, estabelecer quotas e utilizar os meios de comunicação social podem, colectivamente, impulsionar a mudança necessária para alcançar a paridade de género na Web3. Como disse Nuyens com propriedade: “Não se trata de como transmitir seu ponto de vista. É sobre como entrar na dinâmica da discussão.”

A mesa redonda Women in Web3 foi um lembrete poderoso do esforço coletivo necessário para promover a representação. A indústria pode trabalhar para um futuro mais inclusivo e equitativo, continuando estas discussões e implementando o soluções propostas.



Fonte da Matéria Original em Inglês

Veja mais no coinscope